Permanencia de la juventud en el entorno rural: más allá de la sucesión generacional tradicional

Resumen

Dois jovens permanecem no meio rural, diferentemente do modelo tradicional de sucessão geracional. Este artigo tem como objetivo validar as formas de permanência de dois jovens no meio rural, evidenciando as diferenças em termos de ano ou processo de sucessão geracional tradicional. Foram analisadas 53 entrevistas em diferentes municípios da região noroeste do Rio Grande do Sul. Para analisar dois resultados apontou para quatro formas diferentes de permanência: 1) Residência conjunta (mesma casa) em propriedade paterna com atividades agrícolas e não agrícolas; 2) Residência separada (mais as mesmas propriedades em dois países) com atividades agrícolas e propriedades dos pais; 3) Residência não urbana, comércios agrícolas com propriedades de dois países e 4) Residência com propriedade, junto com os países e com atividades urbanas.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Referencias

Abramovay, Ricardo, Silvestro, Milton, Cortina, Nelson, Baldissera, Tadeu, Ferrari, Dilvan e Vilson Marcos Testa. 1998. Juventude e agricultura familiar: desafios dos novos padrões sucessórios. Brasília: UNESCO. http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001315/131546porb.pdf. Acesso em: 18 nov de 2020.

Aldanondo Ochoa, Ana Maria, Casanovas Oliva, Valero e Almansa Sáez, Carmen. “Explaining farm succession: the impact of farm location and off-farm employment opportunities”. Spanish Journal of Agricultural Research 5 (2): 214-225, 2007. DOI: 10.5424/sjar/2007052-241

Bertolozzi-Caredioa, Daniele, Isabel Bardajia, Isabeau Coopmansb, Barbara Sorianoa e Alberto Garridoa. 2020. “Key steps and dynamics of family farm succession in marginal extensive livestock farming”. Journal of Rural Studies 76: 131-141. https://doi.org/10.1016/j.jrurstud.2020.04.030

Borras, Saturnino. M. JR. e Jennifer Franco. 2012. “Global land grabbing and trajectories of agrarian change: a preliminary analysis”. Journal of Agrarian Change 12 (1): 34-59. https://doi.org/10.1111/j.1471-0366.2011.00339.x

Boscardin, Mariele e Marcelo Antonio Conterato. 2017. “As mudanças nos padrões sucessórios e suas implicações no destino das propriedades entre agricultores familiares no norte do Rio Grande do Sul”. Estudos Sociedade e Agricultura 25 (3): 671-695. https://doi.org/10.36920/esa-v25n3-9

Brandth, Berit e Grete Overrein. 2012. “Resourcing children in a changing rural context: fathering and farm succession in two generations of farmers”. Sociologia Ruralis 53 (1): 95-111. https://doi.org/10.1111/soru.12003. Acesso 15 jun. 2020.

Brumer, Anita e Rosani Marisa Spanevello. 2008. Jovens agricultores familiares da Região Sul do Brasil. Relatório de Pesquisa. Porto Alegre: Departamento de Sociologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Butler, Rose. 2020. “Young people’s rural multicultures: researching social relationships among youth in rural contexts”. Journal of Youth Studies 23 (9). https://doi-org.ez47.periodicos.capes.gov.br/10.1080/13676261.2019.1657564

Cassidy, Anne e Brian Mcgrath. 2015. “Farm, place and identity construction among Irish farm youth who migrate”. Journal of Rural Studies 37: 20-28. https://doi.org/10.1016/j.jrurstud.2014.11.006

Cavicchioli, Daniele, Danilo Bertoni e Roberto Pretolani. 2018. “Farm succession at a crossroads: the interaction among farm characteristics, labour market conditions, and gender and birth order effects”. Journal of Rural Studies 61: 73-83. https://doi.org/10.1016/j.jrurstud.2018.06.002

Chechi, Leticia Andrea e Catia Grisa. 2020. “Dos acordos globais às interpretações locais sobre agricultura sustentável: tradução e implementação do Plano e do Programa ABC”. Confins (París) 46: 1. https://doi.org/10.4000/confins.31291

Duarte, Luana Cristina. 2019. Atividades não agrícolas e sucessão de jovens no campo. Dissertação (Mestrado em Agronegócios) - Universidade Federal de Santa Maria, Palmeira das Missões, 2019

Foguesatto, Cristian Rogério, Giane Vargas de Mores, Silvana Dalmutt Kruger e Carlos Costa. 2020. “Will I have a potential successor? Factors influencing family farming succession in Brazil”. Land Use Policy 97: 1-6. DOI: doi.org/10.1016/j.landusepol.2020.104643

Garnevska, Elena, Roger Vaughan e Jonathan Edwards. 2020. “Product and market orientation of horticultural farms in Bulgaria during the years leading to EU accession-studies in the Plovdiv region”. Journal of Youth Studies 23 (9). https://doi.org/10.1080/13676261.2019.1657564

Glauben, Thomas, Martin Petrick, Hendrik Tietje e Christoph Weiss. 2009. “Probability and timing of succession or closure in family firms: a switching regression analysis of farm households in Germany”. Appl. Econ. 41 (1): 45-54. https://doi.org/10.1080/00036840601131722

Graziano da Silva, J. 1999. O novo rural brasileiro. Campinas: Editora da Unicamp, Coleção Pesquisas 1.

Grubbström, Ann e Helen Sooväli- Sepping. 2012. “Estonian family farms in transition: a study of intangible assets and gender issues in generational succession”. Journal of Historical Geography 38 (3): 329-339. https://doi.org/10.1016/j.jhg.2012.03.001

Hernández Sampieri, Roberto, Carlos Collado, Lucio Fernández e María del Pilar Baptista. 2013. Metodologia de Pesquisa. Porto Alegre: Penso.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. Censo Agropecuário. https://censos.ibge.gov.br/agro/2017/. Acesso em 3 dez. 2020.

Kageyama, Angela. 2008. Desenvolvimento rural: conceitos e aplicação ao caso brasileiro. Porto Alegre: Editora da UFRGS, Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Rural.

_____ 2000. “Desenvolvimento rural no Rio Grande do Sul”. In: S. A. Schneider. Diversidade da Agricultura Familiar. Porto Alegre: UFRGS.

Laurenti, Antonio Carlos. 2000. “Terceirização na produção agrícola: a dissociação entre a propriedade e o uso dos instrumentos de trabalho na moderna produção agrícola”. Boletim Técnico 63. Londrina: IAPAR. http://www.iapar.br/arquivos/File/zip_pdf/terc_prod_agric.pdf. Acesso em: 10 jun. 2020.

Maia, Alexandre Gori. 2014. “O esvaziamento demográfico rural”. In: Antônio Márcio Buainain, Eliseu Alves, José Maria da Silveira e Zander Navarro. O Mundo Rural No Brasil Século 21: 1081-1099. Brasília: Embrapa.

Maia, Alexandre Gori e Antônio Márcio Buainain. 2015. “O novo mapa da população rural brasileira”. Revista Franco Brasileira de Geografia 25. https://doi.org/10.4000/confins.10548. Acesso em: 3 dez 2020

Maluf, Renato Sergio. 2004. “Mercados agroalimentares e a agricultura familiar no Brasil: agregação de valor, cadeias integradas e circuitos regionais”. Ensaios FEE 25 (1): 299-322. Porto Alegre. Disponível em: https://revistas.fee.tche.br/index.php/ensaios/article/viewFile/2061/2443. Acesso em: 18 nov. de 2020.

Mann, Stefan. 2007. “Understanding farm succession by the objective hermeneutics method”. Sociologia Ruralis 47 (4). https://doi-org.ez47.periodicos.capes.gov.br/10.1111/j.1467-9523.2007.00442.x

Matte, Alessandra e João Armando Dessimon Machado. 2016. “Tomada de decisão e a sucessão na agricultura familiar no sul do Brasil”. Revista de Estudos Sociais 18 (37): 130-151, Cuiabá. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/res/article/view/3981/pdf Acesso em: 18 nov. de 2020.

Milone, Pierluigi e Flaminia Ventura. 2019. “New generation farmers: rediscovering the peasantry”. Journal of Rural Studies 65: 43-52. DOI: doi.org/10.1016/j.jrurstud.2018.12.00

Morais, Manoela; João Augusto Rossi Borges e Erlaine Binotto. 2017. “Using the reasoned action approach to understand Brazilian successors’ intention to take over the farm”. Land Use Policy 71: 445-452.

Moreira, Sandro da Luz. 2018. “Estratégias e modelos sucessórios em propriedades rurais do município de Cruz Alta/RS”. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Maria [UFSM], Mestrado em Agronegócios, Palmeira das Missões, RS, Brasil.

Moreira, Sandro Luz da e Rosani Marisa Spanevello. 2019. “Modelos sucessórios em propriedades rurais: um estudo no município de Cruz Alta/RS”. Grifos (UNOESC) 28: 27-47. DOI: 10.22295/grifos.v28i46.4563

Neves, Anderson, Jonas Simões das e Sergio Schneider. 2015. “Brazilian demographic transition and the strategic role of youth”. Espace Populations Sociétés, 2 (3): 2-20. https://doi.org/10.4000/eps.5774

Panno, Fernando, João Machado e Armando Dessimon. 2014. “Influências na decisão do jovem trabalhador rural partir ou ficar no campo”. Desenvolvimento em Questão 12 (27): 264-297. DOI: 10.21527/2237-6453.2014.27.264-297

Scaramuzzi, Silvia, Giovanni Belletti e Paola Biagioni. 2020. “Integrated supply chain projects and multifunctional local development: the creation of a Perfume Valley in Tuscany”. Agricultural and Food Economics 8 (5). DOI: https://doi.org/10.1186/s40100-019-0150-8

Schneider, Sergio. 2009. “A pluriatividade no meio rural brasileiro: características e perspectivas para investigação”. In: La pluriactividad en el campo latinoamericano 1, org. H. C. Grammont e L. Martínez Valle, 132-161. Quito: FLACSO Ecuador.

Schneider, Sergio e Marco Antônio Verardi Fialho. 2000. “Atividades não agrícolas e turismo rural no Rio Grande do Sul”. Turismo rural: ecologia, lazer e desenvolvimento, org. Joaquim Anécio Almeida e Mário Riedl, 15-50. Bauru: EDUSC. https://bit.ly/3gIdttK Acesso em: 18 nov. de 2020.

Signor, Cleverson Paulo. 2019. Empreendedorismo rural: intenções empreendedoras dos jovens acadêmicos da área de ciências agrárias. Dissertação (Mestrado em Agronegócios) - Universidade Federal de Santa Maria, Palmeira das Missões.

Silvestro, Milton, Luis Abramovay, Ricardo Mello, Márcio Antonio de Dorigon, Clovis Baldissera e Ivan Tadeu 2001. Os impasses sociais da sucessão hereditária na agricultura familiar. Florianópolis: Epagri; Brasília: Nead / Ministério do Desenvolvimento Agrário. https://bit.ly/3gKHmuO Acesso em: 18 nov. de 2020.

Slatmo, Elin, Klaa Fisher, e Elin Roos. 2017. “The framing of sustainability in sustainability assessment frameworks for agriculture”. Sociologia Rurales: 378-395. DOI: https://doi.org/10.1111/soru.12156

Sottomayor, Miguel, Richard Tranter e Leonardo Costa. 2011. “Likelihood of succession and farmers' attitudes towards their future behaviour: evidence from a survey in Germany, the United Kingdom and Portugal”. Int. J. Sociol. Agric. Food 18 (2): 121-133.

Spanevello, Rosani Marisa. 2008. A dinâmica sucessória na agricultura familiar. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

Wanderley, Maria de Nazareth Baudel. 2003. “Agricultura familiar e campesinato: rupturas e continuidade”. Estudos Sociedade e Agricultura 21: 42-61.

_____ 2000. “A emergência de uma nova ruralidade nas sociedades modernas avançadas – o rural como espaço singular e coletivo”. Estudos Sociedade e Agricultura 15. Rio de Janeiro: CPDA / UFRRJ.

Wheeler, Sarah, Henning Bjornlund, Alec Zu e Jane Edwards. 2012. “Handing down the farm? The increasing uncertainty of irrigated farm succession in Australia”. Journal of Rural Studies 28 (3): 266-275. DOI: doi.org/10.1016/j.jrurstud.2012.04.001

Publicado
2021-06-30
Cómo citar
Spanevello, Rosani, Mariele Boscardin, Adriano Lago, Luana Duarte, y Sandro Moreira. 2021. Permanencia De La Juventud En El Entorno Rural: Más Allá De La Sucesión Generacional Tradicional. Eutopía. Revista De Desarrollo Económico Territorial, n.º 19 (junio), 119 -35. https://doi.org/10.17141/eutopia.19.2021.4897.