Sistemas territoriais na Amazônia e o papel das cidades para o desenvolvimento regional: a biorregião de Parintins (am)

Resumen

La reterritorialización de poblaciones diversas ubicadas hoy en las ciudades de la Amazonía (principalmente en extensas periferias), consolidan una economía popular densa y diversificada. Esta economía urbana con intensa movilidad subregional es interpretada como el Sistema Territorial Urbano-Ribeirinho (STUR), que tiene un doble papel en la necesidad de complementar la economía urbana ejerciendo una conexión entre los puntos de extracción de recursos regionales para la ciudad. A partir del modelo STUR, el objetivo es analizar las actividades de extracción de los recursos regionales, verificando qué especies vienen sufriendo mayor explotación y consecuentemente signos de declive poblacional y escasez en el mercado local. También se pretende contribuir a la formación de metodologías para repensar el carácter relacional y procedimental en los estudios sobre ciudades en la Amazonía. Se demuestra que existe una reducida capacidad de procesamiento de tales recursos por parte de las actividades urbanas, con agregación de “valor” insignificante a los productos, señalando los peligros de la explotación continuada de ciertas especies. Parece que la dinámica de STUR propicia los usos socialmente necesarios de los recursos destinados a alimentos o madera son elementos elementales en el mantenimiento de la vida entre ciudades e interiores.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Referencias

Aberley, Doug.1999. Interpreting bioregionalism: A story from many voices. In: MCGINNIS, Michael Vincent (org.). Bioregionalism. Londres/Nova Iorque: Routledge,. p.13-42.

APAT. 2007. Gestione delle eree di collegamento ecologico funzionale. Manuali e line guida. Roma.

Bartoli, Estevan. 2015 a. Patrimônio Territorial e Desenvolvimento Local: Sistemas Locais Urbano-Ribeirinhos em Parintins (AM). In: CIETA – 2015

Bartoli, Estevan. 2015 b. Ações Indígenas Sateré-Mawé na Cidade de Parintins (AM) e a Formação de Sistemas Locais Territoriais Urbano-Ribeirinhos. In: Anais Simpósio Nacional de geografia Urbana (SIMPURB), CD-room. Fortaleza: UFCE.

Bartoli, Estevan. 2017. O Retorno ao Território a partir da cidade: Sistemas Territoriais Urbano-Ribeirinhos em Parintins (AM). (Tese de Doutorado). Presidente Prudente: PPGG / UNESP.

Bartoli, Estevan. 2018a. Cities in the Amazon, Territorial Systems and the Urban Network. Mercator, v. 17, e17027, p. 1-16

Bartoli, Estevan. 2018b. Entre o Urbano e o Ribeirinho: Territorialidades Navegantes e Sistemas Territoriais em Parintins (AM). Espaço Aberto, PPGG - UFRJ, Rio de Janeiro, v. 8, n.2, p. 169-185.

Bartoli, Estevan. 2020a. Cidades Pequenas na Amazônia e Ordenamento Territorial: Redes de Sujeitos Locais e as Redes Urbanas de Urucará (AM) e São Sebastião do Uatumã (AM). Geoingá: Revista do Programa de Pós-Graduação em Geografia Maringá, v. 12, n. 1, p. 80-105..

Bartoli, Estevan. 2020b. Cidades pequenas na Amazônia: sítio, situação e sistemas territoriais de Barreirinha (AM). Revista de Geografia e Ordenamento do Território (GOT), nº 19 (junho). Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território, p. 132-157.

Bartoli, Estevan. 2020c. Cidades na Amazônia: Centralidades e Sistemas territoriais na sub-região do Baixo Amazonas (AM). Revista Espaço e Economia, v. 20, p. 1.

Bartoli, Estevan. 2021. Funções Urbanas na Faixa de Fronteira Amazônica: Centralidade de Nhamundá (AM) e seus Sistemas Territoriais. Geografia em Questão, v. 14, p. 117-139.

Bartoli, Estevan. Schor, Tatiana. Oliveira, José Aldemir. 2019. Cidades Médias na Amazônia: ampliando percepções sobre a responsabilidade territorial de Parintins (AM). Terra Plural.

Bartoli, Estevan. Sposito, Eliseu S. 2016. Cidades na Amazônia e Sistemas Locais Territorias: Novas Mediações Urbanas e Ordenamento Territorial. In: Fronteiras de Saberes. Manaus, EDUA.

Bernetti, I; Chirisi, G. 2007. La rete ecologica del circondario Empolese-Valdelsa. Atti dela Conserenza ASITA,.

Bettencourt. Luís M. A. 2015. Cidades como Sistemas Complexos. Modelagem de sistemas Complexos para Políticas Públicas. Brasília: IPEA

Bologna, Stefano. 2010. I caractere e gli scenari dela biorregione dela Toscana centrale. IN: Magnaghi, A.; D. Fanfani. Patto Città Campagna. Aliena, Firenze.

Brandão, C.A; Cano, W. 2006. Anotações sobre o Capital Mercantil: análise de sua natureza e estudo das formas através das quais ele dá a tônica da valorização de capitais no Brasil. Campinas, Mimeo.

Camagni, Roberto. 2007. Il Costi coletittivi dela cittá dispersa, Alinea, Firenze.

Cano, Wilson. 2010. Reflexões Sobre o Papel do Capital Mercantil na Questão Regional e Urbana do Brasil. Texto para Discussão. IE/UNICAMP, Campinas, n. 177.

Cano, Wilson. 2011. Ensaios Sobre a Crise Urbana Brasileira. Campinas: UNICAMP.

Clement, C. R. Junqueira. A. B.1998. Plantas Domesticadas: uma história fascinante. In: Scientific American – Coleção Amazônia.

Damiani, Amelia L. 2006. Cidades Médias e Pequenas no Processo de Globalização. In: América Latina: cidade, campo e turismo. CLACSO: São Paulo.

Fanfani, Davi. 2010. Um patto locale città-campagna. IN: Magnaghi, Alberto.; D. Fanfani. Patto Città Campagna. Aliena, Firenze: 2010

Dematteis, Giusepe. 2007. Paesaggio come “codice genético”. In: BALLETI, F. Sapere técnico, Sapere Locale. Firenze: Alinea.

Dematteis, Giusepe. 2008. Sistema Local Territorial (SLoT): um instrumento para representar, ler e transformar o teritório. In: Alves, A. Corrijo, B. Candiotto, L. (orgs.). Desenvolvimento Territorial e Agroecologia. São Paulo: Expressão Popular.

Harvey, David. 2011. O enigma do capital e as crises do capitalismo. São Paulo: Boitempo.

Kinupp, Valdely y Harri Lorenz. 2014. Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil. Jardim Botânico Plantarum.

Machado, Lia Osório. 2003. Região, Cidades e Redes Ilegais: geografias alternativas na Amazônia Sul-Americana. in: Gonçalves, Maria Flora; Brandão, C. (Orgs.). Regiões e Cidades: cidades nas regiões. São Paulo: Edunesp.

Machado, Lia Osório. 2005. Sistemas e Redes Urbanas como Sistemas Complexos Evolutivos. in: Carlos, A. F. A. Lemos, A. G. Dilemas Urbanos. São Paulo: Contexto.

Magnaghi, Alberto. 2010 a. Il progetto locale. Torino: Bollati Boringhieri.

Magnaghi, Alberto. 2010 b. Montespertoli: le mappe di comunità per lo statuto del território. Firenze: Alinea.

Martins, Geraldo Inácio. 2017. Da região natural à biorregião: a natureza como fundamento para divisão do espaço geográfico. Revista da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Geografia (Anpege). P.42-72, V.13, n.21, mai. / ago.

Monte-Mór, Roberto L. 1994. Urbanização extensiva e lógicas de povoamento: um olhar ambiental. In: SANTOS, M., SOUZA, M.; SILVEIRA, M. (Org.). Território, globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec/Anpur. p.169-181.

Monte-Mór, Roberto L. 2006. As teorias urbanas e o planejamento urbano no Brasil. In: Diniz, C.; CROCCO, M. (Org.). Economia regional e urbana: contribuições teóricas recentes. Belo Horizonte: UFMG, p. 61-85.

Monte-Mór, Roberto L. 2014. Embalando Mercados em Redes Urbanas: alimentação e pesca articulando cidades na Amazônia brasileira. in: SCHOR, T. (org.). Dinâmica Urbana na Amazônia – vol. 1. Manaus: Valer.

Moraes, André de Oliveira. 2008. “Peixe, farinha e frango congelado: rede urbana e alimentação na calha do rio Solimões.” In: Anais do XV Encontro Nacional de Geógrafos (ENG). São Paulo.

Moraes, André de Oliveira. 2012. Peixes, redes e cidades: aspectos socioambientais da pesca comercial de bagres no Médio e Alto Solimões - AM. 2012. 140 f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus.

Moraes, André de Oliveira. 2014. Embalando Mercados em Redes Urbanas: alimentação e pesca articulando cidades na Amazônia brasileira. in: SCHOR, T. (org.). Dinâmica Urbana na Amazônia – vol. 1. Manaus: Valer.

Moraes, André de. 2021. Peixes, redes e cidades: aspectos socioambientais da pesca comercial de bagres no Médio e Alto Solimões - AM. 2012. 140 f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2012.

Moraes, André de Oliveira. y Schor, T. Mercados, Tabernas e Feiras: custo de vida nas cidades na calha do Rio Solimões. Mercator (Fortaleza. Online), v. 9, p. 101-115, 2010a.

______. Redes, Rios e a Cesta Básica Regionalizada no Amazonas, Brasil. Acta Geográfica (UFRR), v. 7, p. 79-89, 2010b.

Moraes, André, T. Schor y Alves-Gomes, J. A. 2010. O Mercado de Bagres e a Configuração da Rede Urbana no Alto e Médio Solimões, Amazonas, Brasil. Caderno Prudentino de Geografia. V.1, n.32, p.93-110.

Pinton, Florence y Congretel, Mélanie. 2016. Innovar para resistir? La territorialización de la guaraná en la Amazonía (Brasil). Eutopia. N.10.

Saquet, Marcos Aurélio. 2007. Abordagens e Concepções de Território. São Paulo: Expressão Popular.

______. 2011. Por uma Geografia das Territorialidades e das Temporalidades: uma concepção multidimensional voltada para a cooperação e para o desenvolvimento territorial. São Paulo: Outras Expressões.

Schwade, Maurício Adu. 2016. Relações cidade e campo na Amazônia: trocas materiais e imateriais. In: OLIVEIRA, J. A. de (org.) Dinâmica Urbana na Amazônia brasileira – volume 4. Manaus, EDUA. p. 93 – 120.

Silva, Fernando y Estevan Bartoli. 2019. Capital mercantil, transportes fluviais e a rede urbana sub-regional de Parintins-AM. Revista Geografia e Pesquisa, Ourinhos, v. 13, n. 1, 2019, p. 7-18.

Souza, Marcos Barcellos de. 2009. Acumulação Ilícita e Território: do capital mercantil às redes ilícitas. In XIII ENANPUR.

Publicado
2022-06-30
Cómo citar
Bartoli, Estevan. 2022. Sistemas Territoriais Na Amazônia E O Papel Das Cidades Para O Desenvolvimento Regional: A Biorregião De Parintins (am). Eutopía. Revista De Desarrollo Económico Territorial, n.º 21 (junio), 30 - 51. https://doi.org/10.17141/eutopia.21.2022.5348.