Camponesas, feminismos e lutas atuais: resistência e potência na construção de epistemologias do Sul

  • Márcia María Tait Lima

Resumen

Este trabalho é dedicado a refletir sobre a resistência ao atual modelo de agricultura industrial em discursos e manifestações de mulheres camponesas, organizadas em grupos e movimentos sociais na Argentina e no Brasil. Entre as principais referências disciplinares aplicadas no trabalho estão: os Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia e suas interfaces com os Estudos de Gênero e Feminismo. O trabalho com os materiais obtidos na pesquisa de campo teve como objetivo estabelecer um diálogo entre os discursos das mulheres camponesas e as referências teóricas a partir de uma perspectiva parcial ou de conhecimento situado. Para a pesquisa de campo foram realizadas entrevistas e momentos de observação participante com visitas a localidades urbanas e rurais dos dois países durante os anos de 2010 e 2011. Como parte dos resultados, infere-se que a ação coletiva dessas mulheres promove uma síntese singular de valores e ética presentes no pensamento feminista e ambientalista, construindo uma epistemologia e uma crítica potentes ao modelo de agricultura industrial hegemônico.
Palabras clave:
MUJERES CAMPESINAS, FEMINISMO, ORGANIZACIONES CAMPESINAS, EPISTEMOLOGÍA, MOVIMIENTO SOCIAL, TRANSGÉNICOS

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.
Cómo citar
Lima, Márcia María Tait. 2015. «Camponesas, Feminismos E Lutas Atuais: Resistência E Potência Na Construção De Epistemologias Do Su»l. Mundos Plurales - Revista Latinoamericana De Políticas Y Acción Pública 2 (1). https://doi.org/https://doi.org/10.17141/mundosplurales.1.2015.1912.
Sección
ARTÍCULO INVITADO